sexta-feira, janeiro 20, 2017

Opera apresenta "Neon"

O Opera, um navegador que rivaliza com o Chrome ou o Edge, tem agora uma nova versão, designada por "Neon", no que os programadores consideram um novo conceito, distinto da versão base, capaz de apontar na direcção do futuro, proporcionando uma navegação mais fluída e interactiva.

Novas funcionalidades, como o écran dividido, "pop-ups" de vídeo, funcionando em janela própria, a possibilidade de cortar áreas de écran para guardar imagens, os diversos sistemas de pesquisa, os botões que substituem os típicos "tabs" são exemplos do que este "browser" inclui de novo e que o distinguem da concorrência.

Apreciamos a janela que permite ver um vídeo do Youtube flutuando sobre o "browser", a integração com o "desktop", com o qual se mistura, a simplicidade das configurações e a rapidez de navegação, ficando a faltar um melhor sistema de importação de dados a partir de outros navegadores ou mesmo a integração com contas nos servidores do Opera.

Tal como outros produtos ou versões do Opera, também o "Neon" é gratuito, justificando bem ser testado e avaliado, dado que apesar da sua juventude revela-se robusto, com bom desempenho e, pelo desenho e funcionalidades, poderá ser o preferido de muitos daqueles que o experimentem.

quinta-feira, janeiro 19, 2017

Tempo de espera para atendimento no 112 aumenta 350% - 1ª parte

Numa emergência cada segundo conta, e o aumento no tempo médio de atendimento quando se liga para o 112 em 350%, o que corresponde a mais do que triplicar, é alarmante e requer medidas imediatas no sentido de contrariar esta tendência que compromete o esforço do socorro, havendo vários factores que contribuem para esta degradação do serviço.

Mais importante do que uma percentagem, são os tempos observados, que passam de perto de 20 segundos para mais de um minuto, e serão estes perto de 45 segundos, muitas vezes vividos em grande angústia e sofrimento, numa situação que pode evoluir desfavoravelmente com muita rapidez, que é necessário pensar, sabendo que estes são valores médios, com todas as implicações daí resultantes.

Sendo médias, convém ter em atenção não o valor encontrado, mas os desvios possíveis, que podem ultrapassar em muito o da média obtida, sendo estatisticamente compensados por outros, francamente mais baixos, os quais ocultam os atendimentos mais demorados como resultado da fórmula da qual resulta a média agora revelada.

Também será sempre de considerar o facto de haver chamadas perdidas ou não atendidas, que ficando excluídas da média por não terem sido concretizadas, têm implicações bem mais graves, sendo conhecidos diversos casos em que tal aconteceu, com os pedidos a serem feitos directamente para os quarteis de bombeiros ou outros números de entidades capazes de prestar socorro ou efectuar o reencaminhamento das chamadas.

quarta-feira, janeiro 18, 2017

"Jerry cans" provenientes da Alemanha - 2ª parte

Por questões de ordem prática, centramo-nos num mínimo de 3 unidades, que, mesmo com pesquisas rápidas, podem ser encontrados, em estado novo, por 45.99 Euros, a que acrescem outros 20 para portes, pelo que o total de 65.99 resulta num valor unitário de 22.00, ou seja, perto de metade do praticado entre nós.

Naturalmente, aumentando a quantidade, sem exageros de modo a evitar a necessidade de paletes, o preço unitário diminui um pouco, podendo ficar entre os 17 e os 18 Euros, sendo possível adquirí-los a valores ainda inferiores caso se opte pela versão em plástico, que tem a vantagem do peso e de incluir o tubo ou "spout" incluído, armazenado num recorte lateral, mas possui uma menor resistência e, sem dúvida, é menos atractivo esteticamente.

Recordamos que no caso dos "jerry cans" de origem militar, existem versões distintas para combustível e água, com o revestimento interno e o bocal a serem diferentes, sendo habitual que o modelo destinado a água tenha a zona do bocal pintada em branco, como forma de serem imediatamente identificados, evitando confusões que danificam o interior.

Por vezes ignorado, mas indispensável, o tubo que se adapta no bocal dos "jerry cans", geralmente designado por "spout", deve estar presente em todas as viaturas, sugerindo-se a sua presença mesmo no caso de não transportarem este tipo de reservatório, dado que em situações de emergência ou de empréstimo, este acessório é muitas vezes esquecido, do que resultam dificuldades no abastecimento do depósito do veículo.

terça-feira, janeiro 17, 2017

Antenas 4G e 3G - 4ª parte

Infelizmente, testar muitas destas soluções antes da compra é virtualmente impossível, por serem provenientes da Ásia e a informação que se encontra na Internet ser dificil de filtrar, não apenas pela multiplicidade de modelos, mas também porque modelos idênticos são fabricados em diversos locais e possuem qualidade distinta, não obstante terem uma designação ou mesmo marca comuns.

Mesmo assim, o investimento num dos modelos mais comuns, que pode rondar a dúzia de Euros, representa um risco pequeno face às vantagens oferecidas, sobretudo quando se consiga encontrar uma crítica independente que ateste o desempenho do produto, para o que é necessário distinguí-la dos textos algo confusos e muito elogiosos que alguns vendedores menos escrupulosos publicam como forma de valorizar os produtos que vendem.

Sugerimos, portanto, um modelo multidireccional, com duas ligações TS9, caso sejam compatíveis com as do "hotspot", com base plana ou outro sistema de retenção que não implique acessórios, leve e de pequenas dimensões, com um custo módico, compatível com as redes 3G e 4G, o qual deve responder de forma positiva na maioria das situações.

Para aqueles que tenham sinal 4G e 3G fraco, esta é uma solução que sugerimos, independentemente do modelo exacto a selecionar, e que pode revelar-se especialmente útil sobretudo em deslocações a locais mais remotos, onde o sinal é mais fraco, sobretudo nos casos em que a Internet seja utilizada de forma profissional, alertando para o facto de que não tem influência nas ligações internas via "WiFi".

segunda-feira, janeiro 16, 2017

"Jerry cans" provenientes da Alemanha - 1ª parte

No seguimento de um texto anterior, nomeadamente sobre suportes para "jerry cans", voltamos a apresentar uma solução para a aquisição deste popular reservatório, na habitual opção de 20 litros e em metal, de acordo com as especificações militares da NATO, o que permite obter exemplares padronizados, algo que é essencial na sua facilidade de acomodação.

Infelizmente, entre nós o preço dos "jerry cans" tende a ser bastante elevado, com preços unitários a ficar entre os 40 e os 50 Euros, um valor que consideramos absurdo, pelo que se justifica uma pesquisa atenta de lotes, sendo certo de que um mínimo de 3 unidades permite que o preço unitário, incluindo portes, comece a ser mais favorável.

Tendo em conta os portes, que são mais favoráveis do que da maioria dos países europeus, e a abundância, do que resulta uma diminuição do preço dos próprios "jerry can", o país onde centramos as nossas pesquisas tende a ser a Alemanha, onde se encontravam gigantescos depósitos de equipamentos militares, que incluiam inúmeros equipamentos a nível de logística.

Com o final da Guerra Fria, muito deste material, ainda novo, foi perdendo interesse e sendo vendido como excedente, pelo que modelos de proveniência militar, sem uso, concorrem com os de origem civil, resultando num preço que se fixa entre os mais baixos da Europa, sobretudo quando se opta por comprar algum volume, eventualmente para dividir entre diversos interessados.

domingo, janeiro 15, 2017

Lisboa, cidade fechada - 20ª parte

Com a entrada em 2017 a EMEL voltou a exercer a sua actividade fiscalizadora, patente nalguns veículos autuados, embora não tenha sido visto nenhum bloqueado, o que pode ser consequência das dificuldades em rebocar um veículo por ruas tão estreitas onde, facilmente, se verificaria um pequeno acidente numa curva mais apertada.

Particularmente afectado é sempre quem estaciona fora das marcações, o que, face à redução do número de lugares de parqueamento, é inevitável, sobretudo de noite, quando os moradores deste bairro residencial regressam numa altura em que ainda decorrem actividades nos estabelecimentos de ensino próximos, criando situações de alguma conflitualidade.

Curiosamente, em áreas específicas, tudo foi interrompido, desde sinalização vertical e horizontal aos célebres pilaretes, que impedem estacionamento sobre o passeio, dando a ideia de um certo abandono, eventualmente como resultado da má execução das obras e das inúmeras reclamações dos moradores, sendo incerto se a ideia é corrigir os erros ou apenas evitar novas reclamações, mais frequentes durante a execução de trabalhos.

Entretando, continuam as reclamações e abaixo-assinados dos moradores, pelas mais diversas razões, com primado para as péssimas opções de ordenamento do tráfego e para a falta de locais de parqueamento, com anúncios de processos nos tribunais caso à conclusão das obras, não tenham sido corrigidos os erros que todos, mesmo sem conhecimentos técnicos, facilmente vêm.

sábado, janeiro 14, 2017

Braceletes de sobrevivência - 1ª parte

Os pequenos "kits" de sobrevivência sob a forma de bracelete têm-se revelado populares, em parte devido ao seu baixo preço, que ronda o Euro e meio, incluindo portes, o que permite que sejam um presente útil e acessível, do agrado de quantos se dedicam a actividades ao ar livre.

Existem diversos modelos, e vários níveis de qualidade, sendo o mais comum aquele que inclui uma corda, semelhante às utilizadas nos paraquedas, resistente e flexível, e que, entrançada, dá origem à bracelete, e uma fecho em plástico de abertura rápida que inclui um conjunto de utensílios destinados a ser utilizados em emergências.

A corda, com capacidade para 110 quilos, devidamente entrançada, tem perto de 2 centímetros de largura e 26 de comprimento, mas completamente esticada tem, dependendo do modelo exacto, entre os 250 e os 300 centímetros, sendo algo moroso voltar a entrançar de acordo com a configuração original após o uso, mas realizável seguindo as instruções fornecidas.

Alertamos para a capacidade da corda, que sendo variável, mas na maioria dos casos andará pelos 110-130 quilos, com uma ruptura não anunciada, pode não suportar esticões, como o fazer parar um peso em queda, que, nessa altura, representa um peso muito superior e, portanto, pode resultar numa ruptura.

sexta-feira, janeiro 13, 2017

Land Rover Owners de Fevereiro de 2017 já nas bancas

Com alguma antecipação face ao calendário habitual, chegou aos locais de venda habituais a edição de Fevereiro de 2017 da Land Rover Owners International, com o destaque de capa a ir para um Defender 90 300, completamente restaurado e que será um exemplo do que de melhor se pode fazer com este modelo emblemático, que continua a ser um autêntico símbolo da Land Rover.

É manifesto que os Defender, nas suas numerosas versões, continuam a estar entre os modelos favoritos, mesmo após cessar a sua produção, sendo de nos interrogarmos se, com o passar do tempo, esta situação se irá manter, não obstante o lançamento de modelos mais recentes e que poderão ter um maior interesse comercial para a marca, já que em termos de acessórios, o conceito modular e a flexibilidade do Defender dificilmente serão alcançáveis.

Também é interessante o restauro de um Discovery 1, sobrevivente de uma edição do "Camel Trophy", ou um Serie 1 que se desloca sobre carris, um Range Rover V8 que participou no Dakar, um Serie 2 português, que anteriormente serviu nos bombeiros, tal como o processo de instalação de um "snorkel", mais simples na prática do que na legalização, para mencionar apenas alguns dos muitos exemplos possíveis.

A actividade da Landmania no apoio da Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral de Leiria merece, naturalmente, uma menção muito especial, como símbolo da solidariedade que os adeptos da marca membros deste clube sempre têm demonstrado, confirmando os valores que mantêm presentes desde há muito.

A descrição de algumas expedições e passeios, tal como os vários testes e a apresentação de um conjunto de novos produtos, sempre complementados pela extensa publicidade temática, justificam uma leitura atenta, num resultado equilibrado e interessante, da revista que continua a ser a mais popular entre os adeptos da marca.

quinta-feira, janeiro 12, 2017

Suporte para "jerry cans" da Quick Fist XL - 2ª parte

O preço de cada conjunto de duas correias, cada com dois segmentos, custa perto de 24 Euros, incluindo portes, e permite segurar adequadamente, sempre dependendo do tipo de fixação, objectos com alguma dimensão, como "jerry cans" de 20 litros, oferecendo diversas opções e uma flexibilidade interessante.

Assim, caso sejam utilizados para segurar "jerry cans" ou caixas contra uma parede lateral e apoiados sobre uma plataforma, será possível usar apenas uma das correias de borracha para cada, o que permite que um só conjunto fixe dois volumes, desde que com atenção para que não existam deslizamentos.

Um exemplo, é o de colocar os "jerry cans" assentes na plataforma de carga, lado a lado, contra a divisória de carga, e segurar cada um deles individualmente, sendo de prever que assentem sobre borracha, reduzindo a possibilidade de pequenos deslizamentos, ou colocar a correia na vertical, passando por dentro da pega, podendo, igualmente, ser complementado por pequenas bases em borracha da mesma espessura.

Tal como outros produtos deste fabricante, e que podem servir de inspiração seja para outros usos, seja mesmo na concepção ou adaptação de outros materiais, estes suportes são fáceis de utilizar e correspondem bem ao esperado, sendo uma das formas mais económicas de acondicionar "jerry cans" no interior de um veículo e uma alternativa aos mais dispendiosos suportes metálicos, mais adequados a um uso exterior.

quarta-feira, janeiro 11, 2017

Antenas 4G e 3G - 3ª parte

É de verificar, dependendo da utilização, se a antena pode ser utilizada no exterior, e nesse caso se o comprimento dos cabos, que em muitos casos são 2, têm a extensão suficiente para serem ligados ao "hotspot", e se a base, ou sistema de retenção, se adequa ao local pretendido.

Diversas antenas possuem uma pequena base que, face ao seu escasso peso, se revela eficaz caso se coloque um pouco de velcro, o que permite a sua colocação e remoção simples sobre o "tablier" de uma viatura, mas outras necessitam de um mastro para a sua fixação e orientação correcta, algo que, naturalmente, só resulta prático numa residência ou num veículo destinado a fins específicos.

Outros modelos podem incluir uma ventosa e sistema de encaixe, facilitando o seu posicionamento num vidro, que pode ser de uma residência ou de um veículo, sempre lembrando que este tipo de antena tem polarização vertical e, portanto, deve ser posicionada verticalmente, com a orientação a efectuar-se sobre o eixo vertical via rotação.

A ligação ao "hotspot" é meramente física, não carece de configurações, bastando encaixar as fichas, na maior parte dos casos em número de duas, nos respectivos conectores que podem estar ocultos por uma pequena tampa destinada a proteger tanto fisicamente como do pó os locais de ligação.
Related Posts Widget for Blogs by LinkWithin